“JÁ TEMOS CENÁRIO SEGURO NO PAÍS PARA REABERTURA DAS ESCOLAS” DIZ MINISTRO DA SAÚDE

Foto: Minervino Junior/CB/D.A Press

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou, nesta quarta-feira (7), que o Brasil já tem um cenário seguro para reabrir as escolas públicas e retomar as aulas. A declaração foi dada durante a abertura do Seminário “Reabertura Segura das Escolas”, organizado pela Organização das Nações Unidas – ONU, no Brasil.

“O Brasil vem avançando com a campanha de vacinação, os professores foram incluídos entre os grupos prioritários e temos um número crescente de professores imunizados ao menos com a primeira dose das vacinas. Assim, já temos um cenário seguro para reabertura das aulas em nosso país”, disse o Ministro.


Apesar de terem sido incluídos como prioridade na campanha de vacinação contra a Covid-19, nem todos os professores já tomaram as duas doses necessárias para a imunização completa contra a doença. No entanto, Queiroga defendeu, recentemente, o retorno dos profissionais da educação ao trabalho presencial mesmo sem as duas doses da vacina.

“No meu entendimento, não é fundamental que todos os professores estejam imunizados com duas doses para o retorno às aulas”, afirmou o Ministro da Saúde durante uma audiência pública realizada no Senado, em junho.

PORTARIA  

Nesta terça-feira (06), Queiroga informou que o Governo Federal trabalha em uma portaria interministerial para disciplinar a volta às aulas, e, durante a fala, na abertura do seminário, desta quarta-feira voltou a citar o mecanismo, que será preparado por diversas pastas, como a da Educação e a da Saúde.

Queiroga acredita que a medida é necessária “para que tenhamos uma política homogênea em nosso País”.
Segundo o cardiologista, atualmente “todos” estão de acordo sobre a necessidade do retorno às aulas. “Não podemos ficar mais de um ano e meio sem aulas, com as consequências que já foram apontadas.

Cabe a nós, gestores públicos, buscarmos as soluções para que esse problema seja resolvido e não haja um prejuízo maior ainda para as nossas crianças”, completou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *