ATUALMENTE RICO, O PT JÁ RIFOU VIAGEM A CUBA COM LULA PARA ARRECADAR DINHEIRO

Atualmente dono da segunda maior fatia do Fundo Eleitoral, o PT já rifou uma viagem para Cuba para arrecadar. Em 1989, pedia depósitos de “qualquer quantia” a apoiadores para pagar a 1ª campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Cartazes usados na época nessas ações de arrecadação foram encontradasno acervo do Centro Sérgio Buarque de Holanda, da Fundação Perseu Abramo, vinculada ao PT. Informações são do Poder 360.

“Ajude o PT nestas eleições e ganhe uma incrível viagem para Cuba”, dizia o cartaz que divulgava a ação, de 2000. O número da rifa custava R$ 10 (sem correção monetária). Lula ainda não havia ganhado nenhuma eleição presidencial, mas já era o petista mais conhecido.

Virou chamariz para a campanha de arrecadação. “Vá com Lula visitar Cuba com tudo pago para você e um acompanhante”, declarava a peça publicitária. O roteiro incluía 4 dias em Havana e 2 em Varadero, um dos principais balneários da ilha caribenha. À época, Cuba era governada por Fidel Castro (1926-2016), admirado por petistas. Ele recebeu a comitiva.

A rifa foi organizada pelo diretório paulista do PT, à época presidido por Paulo Frateschi. “Eu que fiz essa proposta. O Lula aceitou. Tinha muita discussão na época se devia, não devia [ir]”, disse ele ao Poder360. À época o hoje ex-presidente mirava a campanha de 2002, na qual seria eleito para o Palácio do Planalto.

“Internamente tinha muita preocupação de ficar se identificando com Cuba, essa coisa toda”, contou Frateschi. “Foi uma viagem fantástica. Além do Fidel ter recebido [a comitiva], ofereceu um enorme almoço para a delegação inteira”, afirmou ele.

A comitiva, de cerca de 200 pessoas segundo noticiou a imprensa à época, foi em um avião fretado. Participaram figuras conhecidas como o ex-jogador de futebol Sócrates (1954-2011), a ex-jogadora de basquete Magic Paula e Márcio Thomaz Bastos (1935-2014), que depois seria ministro da Justiça de Lula.

“Lá não é o país do futebol, mas ele [Sócrates] andava na rua e o pessoal reconhecia, chamava ele de Doutor”, afirmou Frateschi. Ele disse à reportagem que não se lembra quanto a rifa arrecadou, mas que foi uma quantia significativa. Os recursos foram para bancar campanhas para prefeito.

Naquele ano, a então petista Marta Suplicy venceria a disputa para governar a capital paulista. O pacote turístico foi vendido por R$ 1.090, em valores da época, para os não sorteados. “É uma pena que o PT não continuou a fazer”.

“A gente queria ter feito uma para a África. Mas, depois, com a dinâmica do governo e tudo, a gente foi deixando. Mas é um bom método para arrecadar dinheiro e um bom método para formação política”, declarou Frateschi.

CAMPANHA DE 1989

Em 2022, o PT terá R$ 503 milhões do Fundo Eleitoral. Lula poderá gastar até R$ 130 milhões em sua tentativa de voltar ao Palácio do Planalto. É o teto de despesas permitido para campanhas. O Fundão, como é conhecido, porém, foi criado em 2017.

Antes disso, havia financiamento privado das campanhas. Cartazes da eleição de 1989 mostram pedidos de depósito em conta-corrente para ajudar a pagar a campanha de Lula. “Isto é da sua conta”, diziam cartazes lulistas que pediam dinheiro. Uma das peças pedia: “deposite qualquer quantia para o Brasil mudar”.

Poder 360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *