COLUNA QUARTA-FEIRA 13/05/20

MENDONÇA FILHO DIZ QUE GOVERNADOR ENGANA A POPULAÇÃO

Ex-ministro Mendonça Filho (DEM) criticou duramente, nesta terça-feira(12), decisão do Governo do Estado de implantar um rodízio de veículos na capital e outras quatro cidades da Região Metropolitana. Ele disse que o Governo vai empurrar a população que precisa se deslocar de forma essencial para o transporte público, aumentando as aglomerações e o risco de contaminação”.

Segundo Mendonça Filho, o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife Geraldo Julio precisam dizer a verdade sobre o decreto do lockdown. “Há colapso total do sistema de saúde no Recife? Questionou. É fundamental, o Prefeito explicar a causa. Dizer que mais de 60% dos leitos de UTI inaugurados por ele para a Covid- 19, com propaganda na televisão, não estão funcionando”. Ele criticou também o que considera ” tentativa de enganar a população”, mudando o nome do fechamento total das atividades para “quarentena rigorosa”.

Cobrou ainda do Prefeito do Recife transparência na gestão. As dificuldades existem. Ninguém está negando. “Só não podemos aceitar que o Prefeito e o Governador não falem a verdade e continuem transferindo responsabilidades para terceiros. A população não pode ser enganada com um lockdown disfarçado de outro nome”, afirmou Mendonça.

Lockdown – Pré-candidato a vereador, Osvaldo Neto (PSC), criticou projeto de Lei enviado à Alepe pelo Governador, para apreender veiculos cujos condutores não observem o rodízio decretado nesta segunda-feira(11). ” Já notificamos o Ministério Público e a Defensoria Pública de Pernambuco, a respeito” . Diz ainda, em vídeo postado na sua rede social que Paulo Câmara rasgou a Constituição.

DP: A AGONIA DE UM GIGANTE

O clima é de apreensão na redação do Diário de Pernambuco, com a suspenção da circulação impressa do jornal, marcada para esta quinta (14). Nota oficial da empresa diz que o impresso retorna após o fim da pandemia, mas os profissionais do DP temem que isso não aconteça e haja demissões.
Também preocupa o fato de nem o presidente nem os vice-presidentes comparecerem à redação para explicar a decisão. Os comunicados têm sido feitos via notas oficiais.

Como agravante, os funcionários estão com salários atrasados – três quinzenas da época em que o jornal estava sob o comando dos irmãos Alexandre e Maurício Rands e duas quinzenas no grupo atual. Isso sem nenhuma informação da empresa sobre quando serão pagos. O FGTS, tambem não está depositado. Os salários-base dos editores foram reduzidos em 70%, e os dos repórteres, em 25%, de acordo com normas de Ministério Público Federal.
Em caso de demissão, funcionários temem não receber o abono rescisório. Neste momento de pandemia, a preocupação só aumenta, com a possibilidade de perder o emprego e fica sem dinheiro.
CRISE – Os irmãos Rands assumiram o DP em outubro de 2015. Sob o comando deles, a crise estourou em 2018, com atraso de salários, interrupção do depósito do FGTS e demissão em massa. Em outubro de 2019, o jornal passou para o comando do advogado Carlos Frederico Vital. A crise sob os Rands estourou em 3 anos. No comando do novo dono, em apenas 5 meses.

São Bento do Una – Prefeitura de São Bento cancelou os principais eventos culturais da cidade em 2020 devido à pandemia da Covid-19. As festividades juninas, a tradicional Corrida da Galinha e a Feira da Avicultura do Nordeste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *