COVID-19: UNIVERSIDADE DE OXFORD RETOMA TESTES DE VACINA DA AZTRAZENECA

Farmacêutica AstraZeneca anunciou neste sábado (12), a retomada dos testes clínicos, juntamente com a Universidade de Oxford, da vacina contra a Covid-19. A pesquisa havia sido interrompida, após uma voluntária ter apresentado reação e desenvovido uma doença inexplicável, ao receber, a dose do imunizante, autorizado pela agência reguladora britânica de saúde.

“A AstraZeneca está comprometida com a segurança dos participantes do estudo e os mais altos padrões de conduta em estudos clínicos. A empresa continuará a trabalhar com as autoridades de saúde em todo o mundo e será orientada, quando outros testes clínicos podem ser retomados para fornecer a vacina de forma ampla, equitativa e sem lucro, durante esta pandemia”, diz a empresa, em comunicado.

Na última quarta-feira, a AstraZeneca anunciou a interrupção voluntária dos testes que desenvolve em parceria com a Universidade de Oxford – depois de detectar que um dos voluntários havia desenvolvido uma doença “inexplicáve”.
Um comitê independente examinou as medidas de segurança dos testes – um passo que tanto a multinacional quanto a Organização Mundial da Saúde – OMS classificaram como “algo rotineiro nestes casos”. Também foi concluído as investigações e confirmado à MHRA, que os testes são seguros”, completou a AstraZeneca. A vacina da empresa é uma das nove que estão sendo testadas atualmente no mundo, em larga escala em seres humanos – o que é conhecido como Fase 3. A vacina AZD1222 utiliza uma versão mais benigna do adenovírus que provoca o resfriado comum, mas modificado geneticamente, para lutar contra a proteína que, a Covid-19 utiliza, para invadir as células humanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *