GOVERNADORES VÃO IGNORAR DECRETO DE FLEXIBILIZAÇÃO DO PRESIDENTE


 

Governadores do Nordeste e de outros cinco  estados além do Distrito Federal, se manifestaram , com relação a decisão do Presidente da República anunciada na noite desta segunda-feira (11)  considerando   academias e salões de beleza como serviços essenciais.  Eles disseram  que nada muda em seus estados, no que se refere as medidas restritivas de circulação de pessoas e que vão ignorar o decreto do Presidente da República. 

  Hoje, o presidente Jair Bolsonaro usou sua rede social para criticar  os governadores  que  adiantaram  suas decisões  a não adesão ao  Decreto 10.344/2020, que torna academias, salões e barbearias serviços essenciais. Ao todo são 13 governadores, entre eles o de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), 

e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), que anunciaram  manter fechados os estabelecimentos . 

 “Afrontar o estado democrático de direito é o pior caminho;  aflora o indesejável autoritarismo no Brasil”, escreveu Bolsonaro nesta terça-feira (12). “Nossa intenção  é atender  milhões  de profissionais, a maioria  humilde que precisa voltar ao trabalho e garantir a  renda da família”,  justificou  o Presidente.  

   Com relação ao Governo de Pernambuco, a posição de Paulo Câmara foi clara, ao decretar lockdown no Estado. Ou seja, endureceu mais as medidas restritivas. “Só seguirão funcionando os serviços realmente essenciais, garantindo o acesso a alimentos e medicamentos”, disse .O que fica evidente, no entanto, com o comportamento  dos governadores  –   é que, se  eles próprios  podem decidir  o destino dos seus  estados,diante  da pandemia, não precisam recorrer em nada  ao governo federal  e, portanto, devem arcar com todos os ônus das suas administrações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *