JUSTIÇA NEGA PEDIDO DE CENSURA DA FRENTE POPULAR AO GUIA DE MENDONÇA FILHO

A juíza eleitoral, Virgínia Gondim Dantas, rejeitou  representação impetrada pela Frente Popular do Recife, que solicitava a retirada do ar do programa de rádio da coligação “Recife Acima de Tudo” – formada pelos partidos DEM, PTB, PL E PSDB.  Decisão foi divulgada neste domingo (11).

  A coligação  é liderada pó  Mendonça Filho (DEM), candidato a  prefeito e  Priscilka Krause , vice da  chapa.  No programa, as ações de Mendonça no MEC são citadas, junto a declaração feita pelo prefeito Geraldo Júlio, durante audiência no MEC, em Brasília, elogiando Mendonça por ter liberado R$ 10,8 milhões para a construção de seis creches na capital pernambucana .

   Assessoria jurídica da Coligação Recife Acima de Tudo, afirma que a Justiça Eleitoral entendeu como uma representação improcedente “tendo em vista que o atual prefeito é um homem público e não houve nenhum tipo de distorção da realidade, ou seja, não ocorreu qualquer tipo de adulteração nas palavras do prefeito. Assim, trata-se de um pedido sem nenhuma consistência jurídica”.

  O pedido da retirada do guia de rádio foi causada por “induzir falsos estados mentais aos eleitores”, já que continha a declaração do prefeito, que reconhecia as ações do candidato a prefeito do Recife, Mendonça Filho. O evento que anunciou a liberação dos recursos financeiros para a construção das creches ocorreu no dia 5 de abril de 2018, no gabinete ministerial, em Brasília, e foi publicada pelo portal do MEC e exibida na TV MEC.

  Nesta cerimônia, Geraldo Júlio comemorou a liberação da verba e afirmou que as creches seriam construídas nos bairros de Casa Amarela (Estrada do Arraial), Beberibe, Campo Grande, Jordão, Passarinho e Ibura de Baixo, entre outros locais mais humildes do Recife que apresentam déficits de vagas para a educação infantil. “Agradecemos ao ministro pela atenção com a nossa cidade. São centenas de crianças que agora vão ter direito a uma educação de qualidade desde muito cedo”, afirmou Geraldo na audiência. Segundo a juíza eleitoral, não houve nenhum momento que peça publicitária do guia da rádio tentou induzir falsos estados mentais aos eleitores. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *