MULHERES “DÃO O TOM” NA DISPUTA PELA PREFEITURA DE FREI MIGUELINO

     Frei Miguelinho, município do Agreste pernambucano, com pouco mais de 15 mil habitantes, é um dos poucos do Brasil a ter, nas eleições deste ano, todas as candidaturas à prefeitura da Cidade disputada por mulheres.  O fato considerado histórico, ocorre,  porque o então prefeito Lula da Capivara (Podemos), que também concorria em chapa majoritária, teve  sua candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral, com base na Lei da Ficha Limpa.  Outras duas postulantes também disputam a prefeitura.  

    Em um cenário acirrado, Lula da Capivara teve candidatura impugnada pelo Ministério Público Eleitoral por motivos de irregularidades nas contas públicas no período de sua gestão. O ex-prefeito indicou a própria filha Luiza Karla (Podemos) para disputar a cadeira do poder executivo do município.

     Durante entrevista ao Diário de Pernambuco, a candidata disse se sentir honrada em participar de um momento histórico na cidade, que, para ela, é fruto de um reconhecimento ”que a mulher vem recebendo, originado de muita luta e trabalho”, afirma Luiza Karla. Estreando na disputa pela prefeitura do município, ela conta estar orgulhosa em poder contribuir com a cena política de Frei Miguelinho. “Isso muito me orgulha e muito me honra poder representar a minha querida cidade”. 

  Primeira mulher a ser nomeada prefeita da cidade e atual candidata à reeleição, Adriana Assunção (PSB) conta que é a primeira vez que a cidade presencia três mulheres concorrendo a uma vaga na prefeitura. Episódio que ela julga necessário e que deve ser apoiado para estimular a participação de mais mulheres. “Isso mostra a nossa força feminina, nossa garra e empoderamento”, conta.

  Partilhando do mesmo posicionamento, a candidata Tatiana Moura (PSL) aponta que, apesar de alguns avanços que as mulheres conquistaram ao longo da história o cenário atual encontra-se longe do adequado. “Alguns avanços já foram conquistados pela mulher, como o direito ao voto, o direito de poder se candidatar, mas o debate sobre a representatividade encontra-se muito distante do desejado.”, diz. Remetendo-se à cidade do interior pernambucano, ela completa: “Por isso as eleições deste ano em Frei Miguelinho reafirmam a importância de que mulheres devem estar cada vez mais presentes no campo político”. Fonte: DP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *