NOVA JERUSALÉM EM PERNAMBUCO E O VAZIO PROVOCADO PELO CORONAVÍRUS

  O  pequeno distrito de Fazenda Nova, no Município de Brejo da Madre de Deus, Agreste de Pernambuco que recebe mais de 150 mil pessoas nesta época, está vazio. Pela primeira vez, em 53 anos, o espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, o mais famoso do Brasil, não está acontecendo nesta  Semana Santa, em razão da pandemia de coronavírus.

 Fazenda Nova tem pouco mais de 7.000 habitantes. A Semana Santa é o momento em que tudo se transforma por lá. Atores famosos passeiam pelo meio da rua, comerciantes conseguem multiplicar os lucros, bares e restaurantes ficam cheios e muitos moradores fazem figuração no espetáculo grandioso.

  Presidente da Sociedade Teatral de Fazenda Nova – STFN, Robinson Pacheco, disse que o  anúncio do adiamento  feito no dia 14 de março será um grande desafio,  uma vez que a mudança de data implicará a repactuação de muitas parcerias que envolvem o elenco, equipe técnica e governo estadual.

 No elenco principal deste ano estão confirmados os artistas: Caco Ciocler (Jesus), Edson Celulari (Herodes), Christine Fernandes  (Maria), Juliana Knust (Madalena) e Sérgio Marone, no papel de Pilatos.  Ao todo, são 450 atores e figurantes.. A Paixão de Cristo de Nova Jerusalém agrega cerca de 600 profissionais, incluindo técnicos, eletricistas, sonoplastas, maquiadores, cabeleireiros e camareiras, entre outros.

 A ideia de construir um teatro ao ar livre como uma réplica da cidade de Jerusalém para que nela ocorressem as encenações da Paixão de Cristo foi do jornalista gaúcho Plínio Pacheco, que chegou a Fazenda Nova em 1956.

O plano só se concretizou em 1968, quando foi realizado o primeiro espetáculo na cidade-teatro de Nova Jerusalém.

O maior teatro ao ar livre do mundo tem 100 mil metros quadrados.

É cercado por um grande muro de pedras de quatro metros de altura e com 70 torres de sete metros cada uma. No seu interior, nove palcos-plateias reproduzem cenários naturais, arruados e palácios, além do Templo de Jerusalém.

Desde então, já são 53 anos de apresentações ininterruptas dentro das muralhas. O evento, que seria realizado de 4 a 11 de abril, foi transferido para o período de 2 a 7 de setembro deste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *