PESQUISADORES CRIAM COMPOSIÇÃO FARMACÊUTICA PARA TRATAR ESQUIZOFRENIA

   Professores da UFPE Ivan Pitta e Maria do Carmo Lima, ambos do Programa de Pós-Graduação em Inovação Terapêutica – PPGIT, junto com outros pesquisadores da UFRGS e UFRJ, desenvolveram  o produto, “derivados benziltiazolidinônicos,  úteis no tratamento da esquizofrenia”, cuja patente foi concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI sob o registro BR 10 2013 022402 2.

  A invenção foi concebida através de parceria entre as três universidades, em regime de cotitularidade e publicada  na Revista da Propriedade Industrial (RPI) 2587, do INPI. O invento se refere a composições farmacêuticas que atuam sobre o sistema nervoso central no tratamento da esquizofrenia ou de outras manifestações clínicas que requeiram o uso de antipsicóticos.

  Em estudos prévios, as vantagens apresentadas por esse invento incidiram na ausência de efeitos adversos típicos dos antipsicóticos quando comparados com outros agentes de igual gênero. Como benefício, essa patente apresentou menor incidência de catatonia – estado de imobilidade motora e anormalidade comportamental.

  A esquizofrenia é uma doença que afeta a humanidade devido à multiplicidade de sintomas e à permanência dos mesmos ao longo da vida das pessoas.  É um transtorno psiquiátrico crônico e incapacitante, de natureza complexa, com manifestações múltiplas e quadros variados, sendo uma das formas mais importantes  doença psiquiátrica. Mais informações: professor Ivan Pitta – irpitta@gmail.com – professora Maria do Carmo Lima – nenalima.mariadocarmo@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *