PORTO DIGITAL LANÇA PROJETO DE INTERNET GRATUITA NA COMUNIDADE PILAR

  Apesar  de  ser considerada uma ferramenta  extremamente necessária, principalmente neste momento de pandemia, o acesso à internet não é uma realidade de todos.  Para minimizar  a situação,  o Porto Digital lança o projeto Pilar Conectado, para beneficiar cerca de 300 famílias da Comunidade do Pilar, no Centro do Recife. Com a iniciativa, moradores da área  poderão utilizar a internet de forma inteiramente gratuita.  

  De acordo com o Porto Digital, o projeto será desenvolvido em quatro etapas: A primeira – que já foi concluída  – instalou  os equipamentos que fornecem a conexão para os moradores. No total, 13 pontos de acesso foram inseridos na localidade podendo ter novas instalações em caso de aumento da demanda. Na segunda fase – que está em andamento,  haverá a divulgação do projeto na comunidade.  A última etapa será voltada para as pesquisas de aprofundamento. No último momento do projeto, o objetivo é implantar de cursos de capacitação e qualificação empreendedora.

“Temos uma preocupação muito grande com a comunidade do Pilar porque ela está inserida no Porto Digital. Fizemos as entregas das cestas básicas na comunidade e foi um retrato. Hoje a gente sabe exatamente quem são as pessoas, as famílias e a situação social deles”, explicou o presidente do Porto Digital, Pierre Lucena. Segundo o levantamento feito pelo parque tecnológico, foram contabilizados 600 celulares e 100 laptops em utilização, além das 300 famílias que foram atendidas. Ao todo, 875 foram beneficiadas. 

   As pessoas que vivem em barracos no entorno da comunidade e próximos à Igreja do Pilar também serão atendidas pelo projeto. “Como podemos ver não é uma comunidade tão grande do ponto de vista populacional, mas apresenta um dado muito triste e muito importante: é a comunidade com mais baixo índice de desenvolvimento humano  da cidade – IDH ”, esclareceu Pierre. Para Fred Arruda, CEO do Cesar  School, a expectativa é que o projeto se torne permanente.

 “A nossa expectativa é que possamos transformar o programa em algo permanente. Vamos conseguir empresas que dêem longevidade se nós trouxermos conteúdo. Espero que a gente possa priorizar um programa educacional e atingir as gerações mais maduras e mais novas”, comunicou.  De acordo com Julio Gil, representante do Elcoma Vagalume, empresa parceira do projeto, o investimento fixo foi de R$ 150 mil e deve aumentar com a adição do custo de operação, que ainda não foi definido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *