GOVERNADORES TÊM REUNIÃO COM PAZZUELO PARA DISCUTIR CRONOGRAMA DE VACINAS

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, terá reunião na próxima quarta- feira, com governadores para discutir o cronograma de entrega de vacinas contra o coronavírus. O encontro foi divulgado no Twitter pelo governador Wellington Dias (PT-PI).

“Teremos uma reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello e o Fórum dos Governadores do Brasil para tratar sobre o cronograma de entrega de vacinas até o mês de abril”, escreveu o petista.

As conversas entre estados e governo federal são importantes, porque o Sistema Único de Saúde – é operado pelos executivos das áreas, federal, estadual e municipal. No caso da vacinação contra o coronavírus, o Ministério da Saúde adquire os imunizantes. A logística de distribuição e aplicação fica a cargo de Estados e municípios. Os governadores devem cobrar de Pazuello mais rapidez na aquisição da substância.

O País tem até o momento duas vacinas registradas. A CoronaVac, desenvolvida na China e produzida no Instituto Butantan e a de Oxford/AstraZeneca, produzida na Fiocruz. Os insumos, porém, chegam aos poucos. Isso deixa mais lentas a produção e, consequentemente, as aplicações. O Brasil tem 238.532 mortes confirmadas pelo coronavírus. O número foi  divulgado pelo Ministério da Saúde no último sábado.

O Governador do Piauí disse ainda, que será discutido na reunião o financiamento de UTIs, em 2021. Também será debatida a situação da Sputnik V, vacina desenvolvida na Rússia. O laboratório brasileiro União Química quer produzir a substância no Brasil, mas ainda não há autorização da Anvisa.

As conversas entre estados e governo federal são importantes, porque o Sistema Único de Saúde – SUS é operado pelos Executivos, federal, estadual e municipal. No caso da vacinação contra o coronavírus, o Ministério da Saúde adquire os imunizantes. A logística de distribuição e aplicação fica a cargo de Estados e municípios. Os governadores devem cobrar de Pazuello mais rapidez na aquisição da substância.

O Brasil tem até o momento duas vacinas registradas. A CoronaVac, desenvolvida na China e produzida no Instituto Butantan, e a de Oxford/AstraZeneca, produzida na Fiocruz. Os insumos, porém, chegam aos poucos. Isso deixa mais lentas a produção e, consequentemente, as aplicações.

O Governador do Piauí disse ainda que será discutido na reunião o financiamento de UTIs em 2021. Também será debatida a situação da Sputnik V, vacina desenvolvida na Rússia. O laboratório brasileiro União Química quer produzir a substância no Brasil, mas ainda não há autorização da Anvisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *