JUSTIÇA ACIONA A PF PARA APURAR COMPRA DE VOTOS EM ARCOVERDE

O juiz da 57ª Zona Eleitoral de Arcoverde, Draulternani Melo Pantaleão, determinou que a Polícia Federal instaure inquérito, no prazo máximo de 30 dias, para investigar a prática do crime de captação ilícita de sufrágio. A decisão do magistrado foi proferida na última quinta-feira, em acolhimento a parecer do Ministério Público Eleitoral. 

A remessa de cópia dos autos foi enviada ao Departamento de Polícia Federal de Caruaru, que ficará a cargo das investigações. A representação judicial partiu da Coligação Muda Arcoverde, que anexou à denúncia, vídeos e fotos, com flagrante de distribuição de marmitas. 

Segundo os representantes, a diretora da Policlínica Municipal Rita Lima, no Residencial Maria de Fátima Freire, entregou quentinhas “em horário de trabalho e com o uso de roupa na cor verde, a mesma da campanha de Wellington da LW e do Delegado Israel”. Além de Rita Lima, serão objeto de investigação a prefeita Madalena Britto e os candidatos eleitos apoiados por ela. 

Se a Polícia Federal constatar a compra de votos, os responsáveis serão indiciados e responderão pela prática de crime eleitoral. Com isso, poderão sofrer a pena de até quatro anos de reclusão, com perdas dos direitos políticos e das funções publicas exercidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *