OPERAÇÃO APNEIA PREMIADA PELO MPF SALVOU VIDAS DE RECIFENSES DIZ RELATÓRIO DA PF

O relatório final da Polícia Federal – PF comprovou que a Operação Apneia, sobre a compra sem licitação de 500 respiradores testados em porcos – além de combater a corrupção, salvou vidas da população recifense. Incluindo este fato, a Operação Apneia foi eleita nesta sexta-feira (30) pelo Ministério Público Federal – a maior operação de combate à corrupção do Brasil, em 2020 – sendo a vencedora do IX Prêmio República, o mais importante da área, no Brasil. 

O relatório final da PF também mostrou que, somente após o escândalo dos respiradores já ter sido divulgado na mídia é que a sobrinha de Sileno Guedes, Mariah Bravo, enviou mensagem para o secretário Jailson Correia para os respiradores de porcos não serem usados, nos seres humanos recifenses. Ou seja, sem a denúncia inicial do Ministério Público de Contas, possivelmente os respiradores teriam sido usados na população.

Segundo a PF, a intenção sempre foi usar esses respiradores em humanos, mesmo sem a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa.  As informações foram corroboradas pela PF a partir do caso de Hortolândia, em São Paulo, em que a marca de respiradores de porcos comprada pela gestão de Geraldo Júlio (PSB) foi usada lá, em seres humanos.

Em Hortolândia, já estão sendo investigadas mortes de pacientes supostamente pelo uso da mesma marca de respirador, que aqui no Recife foi adquirida com tanta pressa, pela gestão Geraldo Julio. O favorecimento da empresa também foi expressamente mencionado no relatório da PF. Mariah Bravo chegou a atestar o recebimento de 15 respiradores que nunca chegaram. A chancela de Mariah permitiu que a empresa fosse paga de forma antecipada.

PREMIAÇÃO OPERAÇÃO APNEIA

Por ter salvado vidas de recifenses, a Operação Apneia foi eleita pelo Ministério Público Federal, a maior operação de combate à corrupção do Brasil em 2020, sendo a vencedora do IX Prêmio República, o mais importante da área no Brasil. Foram premiados, em reconhecimento, os procuradores Cláudio Dias e Silvia Regina Pontes Lopes (Ministério Público Federal), o servidor Hélder dos Anjos Ribeiro (17º Ofício da PRPE), Cristiano Pimentel (Ministério Público de Contas de Pernambuco), Júlio Oliveira (Ministério Público de Contas do TCU), Daniel Silvestre (Polícia Federal) e Lucieni Pereira (auditora do TCU). 

Enquanto os membros do Ministério Público Federal votavam para eleger a Operação Apneia como o caso mais grave de corrupção do Brasil, em 2020, os conselheiros da Primeira Câmara do TCE, na mesma semana, tentaram passar a versão que não haveria nada de irregular na compra dos respiradores de porcos. 

O voto foi do conselheiro Carlos Neves, ex-advogado de Geraldo Julio. Neves tem parentes em cargos comissionados nas gestões do PSB. Até o pai de Carlos Neves já foi assessor especial do próprio Geraldo. Os conselheiros do TCE também passaram pelo constrangimento de serem desmentidos publicamente, logo em seguida, por meio de nota da Polícia Federal. A CPI da Covid também já está de olho na Operação Apneia.

Fonte: Blog do Magno