REEDUCANDOS TRABALHAM NA LIMPEZA DE RUAS E PRAIAS DO CABO DE SANTO AGOSTINHO

Um grupo de 78 reeducandos que cumprem pena no regime aberto e livramento condicional, na Região Metropolitana do Recife, tem trabalhado na varrição e capinação das ruas e praias do Município do Cabo de Santo Agostinho. A iniciativa na área de serviços gerais da Secretaria de Programas Sociais da cidade mantém convênio de empregabilidade neste sentido.

Segundo a prefeitura, o programa começou com 50 contratações, e atualmente conta com 78 reeducandos. Segundo a gestão, os reeducandos trabalham das 8h às 14h e são remunerados com um salário mínimo R$ 1.045,00 (mil e quarenta e cinco reais) e vale transporte.

“Tínhamos uma carência desses serviços nas vias do Cabo de Santo Agostinho e os reeducandos vieram suprir essa necessidade. São dignos de elogios”, destaca a coordenadora do projeto de Ressocialização da cidade, Vivian Souza.

O projeto é realizado por meio de convênio de empregabilidade entre o Patronato Penitenciário, órgão da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos -SJDH e a Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho. Segundo a prefeitura, os reeducandos atuam na manutenção das vias, com limpeza e pintura do meio fio, além de trabalharem na área de serviços gerais e almoxarifado no Centro Administrativo, em Ponte dos Carvalhos.

Já na orla de Gaibu, os reeducandos cuidam do recolhimento do lixo. De acordo com o superintendente do Patronato Penitenciário, Josafá Reis,  a iniciativa traz ganhos para as empresas e para a sociedade. “Ressocializar, gera economia para os nossos parceiros de convênio, já que o empregador não paga os encargos trabalhistas. Com isso, a ação é completa, inclusão social pelo trabalho, economia para o empregador e diminuição da reincidência criminal para a sociedade”, reforça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *