SAMU RECIFE ATINGE MARCA DE 10 MIL ATENDIMENTOS A PACIENTES COM COVID-19

Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu 192, no Recife chegou à marca de 10 mil atendimentos feitos a pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19, desde fevereiro de 2020. Ao todo, a Central de Regulação recebeu mais de 17,3 mil chamados para ocorrências respiratórias, com 10 mil envios de ambulâncias na capital pernambucana.

Atualmente, a média móvel diária de atendimentos relacionados à pandemia está em 50,3. O Samu também  registrou a menor média de trotes recebidos pelo serviço no primeiro trimestre deste ano. Entre fevereiro do ano passado e abril de 2021, o Samu recebeu 88.406 chamados – o que significa o número de ligações recebidas pela Central. Esse total resultou em 47.844 envios de ambulâncias para ocorrências gerais no Recife.

Deste último número, mais de 17 mil foram chamados para atender pessoas com sintomas respiratórios graves, resultando em cerca de 10 mil envios de ambulâncias, ou seja, precisaram de assistência presencial do Samu. Maio de 2020 foi o mês com o maior número de envios de ambulâncias, tanto para atendimentos gerais quanto respiratórios. Naquele mês, o Samu Metropolitano do Recife chegou a acionar as ambulâncias 80 vezes em um único dia, para causas respiratórias.

Já em 2021, o maior volume foi em março, cuja média móvel foi de 60,9. “O perfil dos pacientes socorridos mudou um pouco, em relação ao primeiro pico. Hoje, é comum fazermos atendimentos a pacientes jovens, com estado de saúde mais agravado, o que no ano passado era mais difícil, quando a maioria dos atendimentos eram feitos a pessoas idosas”.

“Nós, profissionais, já estamos há mais de um ano fazendo esse trabalho para salvar vidas, que é nossa missão, e estamos cansados, sobretudo vendo que parte da população não está levando a situação a sério, mesmo com todas as informações”, afirma o coordenador-geral do Samu Recife, Leonardo Gomes. No primeiro trimestre deste ano, o Samu Recife alcançou a menor média de ligações consideradas trotes, desde que o serviço foi criado em 2020, chegando a 7,04%, do total de chamadas recebidas pela central.

A média de trotes já chegou a ser 90% na capital pernambucana. Por dia, a Central de Regulação recebe cerca de duas mil ligações. A frota de veículos do Samu 192, também foi expandida, contando atualmente com 30 ambulâncias para atender as ocorrências no Recife, das quais 24 são Unidades de Suporte Básico e seis são Unidades de Suporte Avançado (UTIs móveis).

Este ano, o serviço conta com a parceria do Detran, que disponibilizou quatro batedores treinados especificamente para auxiliar na circulação das ambulâncias, escoltar os veículos, e traçar rotas mais rápidas para o transporte de pacientes com Covid-19. A Secretaria de Educação do Recife também disponibilizou escolas municipais para servirem de ponto de apoio para as equipes do Samu durante a pandemia. 

O Samu Recife segue os protocolos de segurança da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para diminuir os riscos de contaminação pelo novo coronavírus. A recomendação do órgão é que, durante os atendimentos a pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19, os profissionais utilizem todos os EPIs, como máscara, touca, protetor facial e luvas, e que as ambulâncias estejam com as janelas abertas e o ar condicionado desligado para aumentar a troca de ar durante o transporte.

Para assistência aos profissionais, foi montado um setor para retirada dos Equipamentos de Proteção Individual na base do Samu Recife, onde há equipes para auxiliar na desparamentação dos profissionais. O Samu tornou-se porta de entrada para pacientes com sintomas respiratórios, bem como o responsável pelo transporte entre as unidades que fazem o primeiro atendimento, como as emergências das policlínicas, UPAs e os hospitais de referência para enfrentamento à Covid-19.

Devido ao aumento das demandas, a Secretaria de Saúde do Recife reforçou o quadro de profissionais do Samu 192, com mais de 200 novos contratados emergencialmente. Atualmente, cerca de 800 trabalhadores atuam no serviço, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, condutores socorristas e quadro administrativo.

VACINAÇÃO

Entre os meses de janeiro e fevereiro, todos os profissionais do Samu Recife foram contemplados com a vacina contra Covid-19. Eles integram o grupo de trabalhadores da saúde da linha de frente no enfrentamento ao novo coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *