SINDICATO DEFENDE HORÁRIO ESCALONADO DE SETORES PARA REDUZIR SUPERLOTAÇÃO EM ÔNIBUS

    Diretor de inovação do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco  – Urbana-PE, Marcelo Bandeira lista – o que considera  as três principais medidas para a melhoria do transporte público no Grande Recife:  modelo de custeio, necessidade de ampliação de faixas exclusivas e necessidade de escalonamento de atividades econômicas.  

  Segundo ele, estes são “alguns dos desafios pelo entendimento de que precisamos nos adaptar e enfrentar uma questão que não é de agora e .

o escalonamento de setores é  o mais urgente”. Ressaltou também, que, “o setor está bem confiante no escalonamento da demanda. É uma discussão muito interessante e que não custa absolutamente nada, basta apenas o diálogo com os setores econômicos e a montagem de uma estrutura de monitoramento.

  Não precisa de investimento, não precisa de obra. “Precisa só de entendimento de que precisamos nos adaptar e enfrentar uma questão que não é de agora”, disse.. Segundo Bandeira, a ideia consiste na negociação dos horários de início e fim de atividades como a construção civil e o comércio. “A construção civil, por exemplo, que hoje se inicia às 7h, poderia começar às 8h30. O comércio de rua, que começa às 8h, poderia começar às 8h45. Já protocolamos esses ofícios nas secretarias de governo, e o secretário se mostra interessado no tema”, afirmou.

   De acordo com o representante do sindicato, a medida impediria a superlotação do transporte registrada, sobretudo, no início da manhã e no início da noite. “Isso é necessário para fazer o que a gente chama de achatar a curva do transporte público e permitir que essa demanda seja de uma forma mais homogênea ao longo do dia”, explicou.

   Para Marcelo Bandeira, outra necessidade do setor é a mudança do modelo de custeio. “Não dá mais para a população bancar todo o custo do serviço, inclusive as gratuidades. Essa forma tem que ser modificada”. Também segundo o diretor da Urbana-PE, há outras formas de injetar recursos no sistema. “Os modelos de transporte no mundo todo mostram que, no mínimo, 40% da arrecadação deve vir de fontes extra tarifárias. Existem diversas mecânicas, como redirecionar os recursos de multas de infração e de estacionamentos públicos para o transporte coletivo”,  destacou.

 A  ampliação de faixas exclusivas para o transporte público é também prioritário. “Só a Faixa Azul da Herculano Bandeira com a Domingos Ferreira na Zona Sul do Recife repercutiu para o passageiro uma economia de 30 minutos na viagem. É menos tempo no transporte coletivo e mais tempo para ele dedicar às suas atividades de lazer”, disse.  

DEMISSÕES

A respeito das demissões de cobradores, que geraram, inclusive, protestos  da categoria  dirigente classista explicou que a Urbana-PE busca implementar novos mecanismos de pagamento no sistema de transporte público.

“A ideia é que o ônibus possa receber cartão de crédito, cartão de débito e que possa ser possível pagar a passagem diretamente com celular, através do QR Code, sem precisar da utilização do dinheiro. Essa é uma iniciativa que já está em andamento, em análise”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *